Equipe da Saúde realiza roda de conversa com as gestantes e puérperas para orientação da importância do aleitamento materno.

O prefeito Aristeu Nantes tem incentivado toda equipe para que desenvolva ações voltadas a orientações com ênfase nas campanhas divulgadas pelo Ministério da Saúde

| ADAUTO DIAS / DIAS MS


Equipe do ESF Nova Glória

Equipe do ESF – Estratégia de Saúde da Família do Nova Glória,  comandada pela secretaria de saúde do município Janete Kochisnki , realizou roda de conversa com as gestantes e puérperas   durante o mês  de agosto que foi dedicado ao aleitamento materno, com orientações e incentivos à pratica e ao hábito da amamentação. A Palestra foi ministrada pelos profissionais,  Dr. Vinicius Pacheco, Nutricionista Ana Paula kolberg,  e a Enfermeira Daiani de Alencar Serafim.

As mulheres foram orientadas sobre a importância nutricional da mãe para o desenvolvimento    do bebê, a importância da amamentação e seus nutrientes,  com ilustração da prática da amamentação e ordenha durante toda a roda de conversa com as gestantes e puérperas.

O prefeito Aristeu Nantes tem incentivado toda equipe para que desenvolva  ações voltadas a orientações com ênfase nas campanhas divulgadas pelo Ministério da Saúde, e ofereça apoio relacionado a cada tema trabalhado no município, assim a população estará assistida pela saúde local.  

A Repórter da Agência Brasil - Ludmilla Souza publicou.  

O Agosto Dourado simboliza a luta pelo incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno. De acordo com a OMS e o Unicef, cerca de 6 milhões de vidas são salvas anualmente por causa do aumento das taxas de amamentação exclusiva até o sexto mês de idade.

Considerado o alimento mais completo para os bebês, o leite materno sacia a fome, contribui para a melhora nutricional, reduz a chance de obesidade, hipertensão e diabetes, diminui os riscos de infecções e alergias, além de provocar um efeito positivo na inteligência e no vínculo entre mãe e bebê. 

O leite materno é repleto de anticorpos, fundamentais para a saúde e a resistência do bebê a doenças, por isso é fundamental que a criança o receba como única fonte de alimento até os seis meses. Especialistas, no entanto, sugerem que ele deve continuar até os dois anos ou mais, ou seja, não há limite de idade para a amamentação.