São Paulo sofre, mas vence o Guarani por 3 a 2 pelo Campeonato Paulista

| ESTADãO CONTEúDO / CAMPO GRANDE NEWS


Comemoração dos jogadores após a vitória desta noite. (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

O São Paulo conseguiu nesta quarta-feira a terceira vitória na maratona iniciada sábado no Campeonato Paulistã. Mas os 3 a 2 sobre o Guarani, no Morumbi, foram sofridos. O time teve bons momentos, mas falhou muito na defesa e quase foi castigado. Menos mal que chegou aos 16 pontos no Grupo B, na liderança. O time de Campinas tem 5 no D, em terceiro. Nesta sexta-feira, o São Paulo vai ao Allianz Parque fazer o clássico contra o Palmeiras, válido pela quinta rodada do Paulistão. Com o time jogando a cada 48 horas, Hernán Crespo optou por uma equipe reserva, o que possibilitou a reestreia de Miranda, de volta ao Tricolor após 10 anos, e a escalação de oito jogadores formados em Cotia desde o início da partida - Benítez também começou pela primeira vez. A proposta de jogo se manteve, com o time tentando explorar os lados do campo com os avanços dos alas, a busca por um jogo vertical e as tentativas de infiltração em velocidade. Mas o Guarani não se intimidou, também foi à frente e expôs de cara um defeito defensivo do São Paulo, novamente escalado com três zagueiros: a dificuldade nas bolas altas. Depois de duas tentativas em cinco minutos, com Bruno Sávio e Bidu, o Guarani conseguiu dois escanteios. No segundo deles, aos 9 minutos, Lucas Perri, aproveitado nesta quarta, falhou ao tentar dar o tapa, a bola bateu em Miranda e sobrou para o zagueiro Airton encher o pé. Logo depois, o Guarani, com ajuda do desvio de um defensor do São Paulo, colocou uma bola na trave. Depois de levar esse susto, o São Paulo se lançou e empurrou o Guarani para trás. Apesar de encontrar um adversário bem armado defensivamente, o time da casa conseguia criar jogadas, mas pecava nas conclusões. Assim, perdeu chance com Benítez, Vitor Bueno, Liziero até chegar ao gol de Wellington. Gol que saiu em uma jogada, rápida, objetiva e envolvente, da maneira como Crespo propõe: Talles - que fez ótimo primeiro tempo -, lançou na direita para Galeano, que cruzou de primeira. Benítez foi mais rápido que a zaga, cabeceou livre, o goleiro Gabriel rebateu, mas Wellington, que chegava como uma flecha, não desperdiçou o rebote. A virada veio no início da etapa inicial, numa jogada em que Igor Gomes inicialmente se enrolou após belo passe de Benítez, mas, na sequência, a bola chegou para novo cruzamento de Galeano e Igor, desta vez, bateu forte, de primeira. Com a vantagem, o São Paulo se posicionou um pouco mais atrás, para atrair o Guarani e ter mais espaço para agredir. Mas foi o time de Campinas quem chegou ao gol. Aos 24 minutos, Perri ainda fez ótima defesa em cabeçada de Davó. Na jogada seguinte, porém, Davó cruzou da direita, ninguém tirou e Bruno Sávio empurrou para o gol. O Guarani se animou e Andrigo quase fez o terceiro em cobrança de falta. O São Paulo também teve chance. Vitor Bueno perdeu uma incrível, mas aos 39, não vacilou. Em nova assistência de Galeano, a terceira para gol, ele invadiu e tocou na saída do goleiro Gabriel. Foi o gol da vitória de um time que, apesar das falhas, teve mais méritos que defeitos.