Casos de Covid no Corinthians fazem Palmeiras reforçar pedido de adiamento de Dérbi

Corinthians tem 19 casos, sendo oito jogadores contaminados

| GLOBOESPORTE.COM / {\'AUTHOR\': {\'NAME\': \'PVC\', \'PROFILE\': {\'PICTURE\': {\'ID\': \'E9ABB833-DEA3-4371-AB0F-13B31CBDB8E7\', \'NAME\': \'PAULO VINICIUS COELHO PVC\', \'RIGHTSHOLDER\': \'RAPHAEL ZARKO\', \'THUMBORURL\': \'HTTPS://S2.GLBIMG.COM/KFZXQ5U


A informação de que o Corinthians possui 19 casos de Covid 19, o aumento do número de casos da nova cepa, com maior índice de contágio, fazem o Palmeiras reiterar o desejo de adiamento do Dérbi da noite desta quarta-feira, na Neo Química Arena. O clube tentou a mudança da data desde que a Federação Paulista divulgou a tabela detalhada, em 16 de fevereiro.

O clássico acontece menos de vinte dias depois do realizado pelo segundo turno do Brasileirão, em 18 de fevereiro, com vitória palmeirense por 4 x 0, no Allianz Parque.

Em reuniões seguidas na federação, com o vice-presidente Mauro Silva, o clube queria a troca do dia do clássico alegando ser representante do futebol de São Paulo na decisão da Copa do Brasil, cuja final será disputada quatro dias depois do Dérbi. A Federação preferiu manter o clássico para esta quarta-feira. O Corinthians também não abriu mão da data.

Ocorre que a quantidade de casos de covid no Centro de Treinamento Joaquim Grava, do Corinthians, fez com que voltasse a existir a possibilidade de mudança da agenda. Especulou-se que isto aconteceria durante toda a tarde de terça-feira (2). A Federação mantém o Dérbi.

O Palmeiras, no entanto, segue defendendo a tese de que o clássico deve ser alterado. Uma das razões é a possibilidade de que a nova cepa, com maior índice de contágio, afete a saúde dos jogadores palmeirenses antes da decisão contra o Grêmio, no domingo (7). "Achamos que o bom senso é adiar a partida e é uma questão de coerência manter o pedido de adiamento", diz o diretor-executivo Anderson Barros.

Importante dizer que o pedido do Palmeiras não se dá pelo número de casos de covid do Corinthians, mas que o problema corintiano reforça um pedido já existente. No ano passado, o Palmeiras foi contra o adiamento da partida contra o Flamengo, também atingido por surto da doença. Na época, o Palmeiras argumentava que todos os clubes do Brasileirão haviam decidido jogar mesmo em casos de surtos.

Desta vez, o pedido não se dá exclusivamente pelo surto, mas pela soma de fatores. O primeiro pedido era pela proximidade da decisão da Copa do Brasil.