Bombeiros tentam conter incêndios e BR-262 está liberada após acidente com morte no Pantanal

Fumaça de queimadas cobriu região e por causa da baixa visibilidade, caminhoneiro bateu de frente com carreta

| MIDIAMAX


Fumaça prejudicou visibilidade e causou acidente. Imagem: Divulgação

Após o acidente que matou o caminhoneiro João Eder de Morais, de 60 anos, o trecho entre o km-702 e 645 da rodovia BR-262, segue com o fluxo de trânsito sem restrições na manhã desta segunda-feira (28). Há focos de incêndio na vegetação às margens da rodovia, mas a fumaça não atrapalha a visibilidade na pista, conforme informou a PRF (Polícia Rodoviária Federal). O Corpo de Bombeiros tenta combater as chamas na região.

De acordo com a PRF, foram 7 horas de pista interditada. Por volta de 18h40 o trecho do acidente foi liberado no sistema pare-e-siga e às 20h45 da noite de ontem foi totalmente liberado.

O acidente que matou o caminhoneiro foi ocasionado pela baixa visibilidade na rodovia, por conta da intensa fumaça no trecho entre Corumbá e Miranda. João Eder seguia sentido Campo Grande/Corumbá, e fazia um frete de mudança, quando colidiu de frente com uma carreta, conduzida por um homem de 47 anos, que saiu ileso do acidente.

Coronavírus: a partir desta segunda, casos confirmados e suspeitos serão rastreados em MS

Leilão do Detran-MS tem mais de 1 mil motocicletas e 157 carros disponíveis

No caminhão onde estava Eder, também havia uma mulher de 23 anos e uma criança de 4. Ela não teve ferimentos e o menino sofreu um corte na cabeça, sendo ambos foram encaminhados ao Pronto-Socorro Municipal de Corumbá. Não há informações sobre o grau de parentesco da vítima fatal e a mulher com o filho.