Engenheiro usa caminhonete para criar veículo elétrico e monta estação de recarga na garagem de casa

Segundo Henderson Martins, carro não faz barulho ao rodar e investimento foi de R$ 80 mil em um projeto que levou 8 anos para ser concluído, em Campo Grande (MS).

| G1 / FLáVIO DIAS E CLáUDIA GAIGHER/TV MORENA, G1 MS


Foram 8 anos de pesquisa, mais de R$ 80 mil investidos e muito trabalho até o engenheiro Henderson Martins transformar uma caminhonete, modelo picape ford ranger, adquirida em um leilão em Campo Grande, em um veículo elétrico.

E ele foi além disso. Criou para "abastecer" a "Bala de Prata", carinhoso apelido dado a caminhonete, uma estação de recarga que capta a luz solar e a converte em energia fotovoltaica (energia solar elétrica). A estação é a primeira voltada especificamente para abastecer veículos em Mato Grosso do Sul.

O engenheiro conta que é um entusiasta do uso da chamada energia limpa – que é aquela gerada por meio de fontes renováveis e sem a emissão de poluentes ou impactos ao meio ambiente – e que isso serve de inspiração para que ele estude e desenvolva novas tecnologias.

Na caminhonete, ou melhor, a "Bala de Prata", foram várias modificações feitas. A começar pelo motor. Como resultado, o veículo agora não faz mais nenhum barulho ao rodar.

"Esse é um motor alemão. Ele é refrigerado a água e é por isso que ele ainda precisa de um radiador. Som, iluminação do carro funciona perfeitamente com uma bateria auxiliar. A caminhonete também tem o carregador da bateria de alta tensão e transforma energia para energia trifásica do motor elétrico, o que faz o veículo andar", explicou ao G1.

Conforme o engenheiro, o carro fica recarregando por cerca de duas horas e com essa carga consegue rodar por cerca de 300 quilômetros.

"O carro elétrico é muito confortável e não tem barulho. É outra maneira de dirigir com uma sensação muito boa e quem para quem gosta de conduzir um veículo vai sentir isso. O carro responde muito rápido, você pisou e acelerou e ele vai embora", explicou Henderson.

Para criar o "posto de abastecimento", ou melhor, de "recarga" para a "Bala de Prata", o engenheiro-inventor utilizou o telhado da garagem de seu estúdio de carro onde abriga outros veículos. Ele instalou no local várias placas fotovoltaicas, que captam a energia solar e a convertem em energia solar elétrica.

A estação gera tanta energia, que Henderson diz que ela é capaz de abastecer a caminhonete para rodar por um dia inteiro e ainda atender o consumo de uma família - com quatro pessoas. "E ainda sobra energia", garante.

Mercado

De acordo com associação brasileira de veículos elétricos, o mercado de carros elétricos deve crescer até 500% nos brasil nos próximos 5 anos. Na Europa, alguns países já tem mais de 30% da frota de carros elétricos e a tendência mundial é escolher esse meio de transporte, que não polui e não emite gases de efeito estufa.

Ainda de acordo com associação, no Brasil ainda é pequena a frota, mas já existem redes de recarga espalhadas no Paraná e São Paulo que permitem longas viagens e reforça que carregar um carro em uma tomada especial, é mais uma alternativa que pode ser também outra oportunidade.