Com 100% do milho colhido, MS estima produção de 11,475 milhões de toneladas

Levantamento da Famasul aponta que Mato Grosso do Sul comercializou até 2 de setembro 51,34% do milho segunda safra de 2019

| 94 FM DOURADOS / ANDRé BENTO


Produção estimada em 11,475 milhões de toneladas é recorde histórico no Estado (Foto: Divulgação/Famasul)

Circular técnica divulgada na tarde desta quarta-feira (4) pelo Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio) informa que Mato Grosso do Sul já colheu 100% dos 2,173 milhões de hectares de milho cultivados nessa segunda safra. A estimativa de produção é de 11,475 milhões de toneladas, recorde histórico para o Estado. 

Obtido pela 94FM, o relatório informa que a evolução da colheita do milho pode ser verificada nas regiões sul, centro e norte “conforme consultas aos Sindicatos Rurais e/ou empresas de assistências técnicas dos municípios, além das informações obtidas em campo'.

“Com base nas informações levantadas, na data de 30/08/19, a área colhida de milho acompanhada pelo Projeto SIGA MS alcançou 100%', detalharam os pesquisadores.

No início da safra, a produtividade apurada era de 83 sacas por hectare, mas com a evolução da colheita, foi possível revisa-la para 88 sacas por hectare. Isso possibilitou elevar a estimativa de produção, inicialmente em 9,552 milhões de toneladas e agora em 11,475 milhões de toneladas.

Outro fator que motivou esse otimismo do setor produtivo sul-mato-grossense foi a constatação de que a área cultivada com o cereal cresceu 19,81% em relação à safra 2017/2018.

Inicialmente, estimava-se aproximadamente 1,918 milhão de hectares, mas “após o levantamento realizado a campo com mais de 13 mil pontos via GPS das culturas nas estradas do Estado corroborados com o mapeamento do uso e ocupação do solo através de sensoriamento remoto', os pesquisadores do Siga-MS revisaram para 2,173 milhões de hectares.

“O fator determinante para esse aumento de área foi, sobretudo, a antecipação da janela de plantio, em função do clima favorável, que fez com que os produtores optassem pelo plantio do milho ao invés de outras culturas de inverno, por exemplo, trigo, aveia, milheto, pasto e sorgo', pontuaram.

A pesquisa constatou ainda valorização de 1,63% no preço da saca do milho no Estado entre 26 de agosto a 2 de setembro de 2019. “O cereal encerrou o período negociado a R$ 27,25. A praça de Caarapó teve a maior valorização no período, encerrou cotada em R$ 28,00/sc', destaca a circular técnica.

Segundo a publicação, Mato Grosso do Sul comercializou até 2 de setembro 51,34% do milho segunda safra de 2019, percentual praticamente a mesma apresentada em igual período em relação à safra passada.

De acordo com a analista Técnica do Sistema Famasul Tamiris Azoia, a capacidade estática de armazenamento do Estado é de 9.723.271 toneladas, conforme o portal de informações agropecuárias da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).