Preço diminui, mas placas em MS são as mais caras do País

Obrigatoriedade das placas padrão Mercosul começa na próxima segunda-feira,

| CAARAPó ONLINE/EDUARDO MIRANDA


Na última semana antes do início da vigência das placas padrão Mercosul em Mato Grosso do Sul (e em todo o Brasil), a maioria das emplacadoras, que inicialmente haviam anunciado um preço de placas retangulares para automóveis de até R$ 300 o conjunto, baixaram o preço em, no máximo, R$ 20.

Somente uma delas continua cobrando R$ 300 no conjunto. Mesmo assim, o valor continua entre os maiores do País. A Superintendência de Proteção ao Consumidor de MS (Procon) promete fiscalização incisiva a partir de segunda-feira, quando o novo padrão passa a ser obrigatório.

Enquanto em São Paulo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) recomendou preço de R$ 138 para automóveis, em Mato Grosso do Sul o Detran adotou o livre mercado, e não entrou no mérito do preço a ser cobrado. Em outros estados que já adotam o sistema, como Paraná e Rio Grande do Sul, os preços praticados são inferiores a R$ 200.

O Correio do Estado apurou que o governo do Estado, com Procon e Detran, preparam medidas para evitar preços abusivos no serviço de emplacamento. Na sexta-feira, o departamento de trânsito local informou que mais três estampadoras manifestaram interesse em entrar no mercado.

A expectativa é a de que a medida estimule a concorrência. Os preços no Estado variavam de R$ 140 a R$ 145 para motocicletas, e de R$ 280 a R$ 300 para automóveis. O credenciamento continua aberto para outros interessados. Conforme normativa publicada em setembro de 2019, só podem ser habilitadas as empresas que trabalhem com o acabamento das placas, já que a autorização para fabricação das chapas é de competência do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Além disso, elas devem ser capazes de estampar também no padrão antigo.

O processo é aberto com o preenchimento de solicitação. As interessadas devem declarar que não atuam em atividades públicas ou comerciais que comprometam a isenção na prestação do serviço credenciado.

A nova placa passou a ser obrigatória desde sábado (01.02). Contudo, quem tem a chapa antiga só terá de trocá-la se estiver danificada, em caso de transferência do veículo ou de mudança de município.