Venda direta de combustível aos postos não reduzirá receitas do governo

Representantes dos produtores de Alagoas e Pernambuco desmentiram lorota em encontro com Bolsonaro

| CAARAPó ONLINE/CLáUDIO HUMBERTO


Ao serem recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro, os presidentes do Sindaçúcar de Pernambuco e de Alagoas, Renato Cunha e Pedro Robério Nogueira, ambos da Novabio, desfizeram a mentira difundida pelos distribuidores de combustíveis: a venda direta de etanol aos postos, pelos produtores, não implicará em perda da receita de tributos por parte do governo. Impostos, como ICMS por exemplo,  hoje pagos pelos distribuidores, que atuam como atravessadores, serão recolhidos pelos produtores. No caso as destilarias de cana.

Bolsonaro conta com a liderança dos presidentes da Câmara e do Senado para aprovar projetos que autorizam a venda direta.

Participaram do encontro Bento Albuquerque (Minas e Energia) e o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, solidário à causa.

O próprio Bolsonaro já tem a estimativa de que a venda direta reduzirá o preço dos combustíveis, num primeiro momento, em 20 centavos.