Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
23 de Maio de 2019 às 16h10min
Reinaldo Azambuja defende simplificação tributária e diz que reforma da Previdência tem que acabar com privilégios

Por Paulo Fernandes – Subsecretaria de Comunicação

Fotos: Chico Ribeiro

Campo Grande (MS) – Presidente dos consórcios Brasil Central e Codesul, o governador Reinaldo Azambuja voltou a defender nesta quinta-feira (23.5) a urgência das reformas e afirmou que a sociedade precisa ficar atenta porque existe um lobby contra a mudança previdenciária, com o objetivo de defender privilégios. Ele falou durante a abertura do XIV Congresso de Direito Tributário, Constitucional e Administrativo e VI Seminário Científico UCDB, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, em Campo Grande.

Na quarta-feira (22.5), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o projeto da reforma tributária que unifica cinco tributos sobre o consumo – IPI, PIS e Cofins (que são federais), ICMS (estadual) e ISS (municipal) – em um: o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS). A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) agora segue para uma comissão especial criada para esse fim e, se aprovada, vai para o Plenário.

O governador afirmou que esse grande número de legislações tributárias é uma barreira para o crescimento brasileiro. “Conte comigo como presidente do consórcio de governadores do Brasil Central para discussão da PEC que foi aprovada ontem na Comissão de Constituição e Justiça, do IBC. Conte comigo porque acho que a grande discussão que nós temos que ter é uma simplificação tributária no nosso país. O Brasil tem um arcabouço de legislações tributárias: ICMS, cada estado, 27 legislações; ISS, mais de 5.800 municípios legislando sobre isso. E quando a gente vê um passo onde você unifica tributos federais, estaduais e municipais em um tributo simplificado, que vai possibilitar a ampliação da base de contribuição porque vai democratizar, desburocratizar e diminuir a sonegação, você começa a ter um alento de que podemos avançar em uma reforma tributária descente para o nosso país. Esse arcabouço de legislação, é um impeditivo de crescimento do nosso país”, disse Reinaldo Azambuja.

Com relação à reforma da Previdência, o governador lembrou que a economia brasileira não teve a recuperação esperada nos primeiros meses do ano e defendeu que o momento é de a sociedade organizada se mobilizar porque, segundo ele, corporações fazem pressão dentro do Congresso Nacional para manter privilégios. “Essa reforma não é feita para o governo, ela é feita para o país e se não tiver uma mobilização da sociedade organizada para que a gente possa melhorar a equação do déficit previdenciário, vamos continuar privilegiando alguns em detrimento de todos”, declarou. “As corporações estão dentro do Congresso Nacional para defender privilégios”, acrescentou.

Em 2017, mesmo enfrentando críticas, o governo de Mato Grosso do Sul enfrentou a questão previdenciária, unificando os dois regimes, alterando a alíquota de contribuição e reduzindo o déficit. O Congresso de Direito contou também com a participação do secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel; deputado estadual Gerson Claro, representando a Assembleia Legislativa; prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad; conselheiro Ronaldo Chadid, representando o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS); e a procuradora-geral de Mato Grosso do Sul, Fabíola Marquetti, entre outros.


 
Notícias Recentes
Bens confiscados com traficantes serão vendidos imediatamente a partir de agora
Rose Modesto admite interesse em disputar prefeitura de Campo Grande, mas nega acordo com o MDB
Previdência: contribuição sobe de 15 para 20 anos para homens
CCJ do Senado decide sustar decreto que flexibiliza porte de armas
Atendendo solicitação de Barbosinha CCR fará intervenções em acessos da BR-163 em Dourados
AL/MS celebra 40 anos de promulgação da primeira Constituição de MS Onevan de Matos, um dos 18 deputados constituintes
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet