Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
21 de Maio de 2019 às 14h59min
Projeto de Lei de Onevan objetiva impedir superendividamento de servidor público
Empréstimos consignados ficarão restritos ao limite de 35% dos salários
Fernando Ortega – Assessor de Imprensa do Gabinete

Assembleia Legislativa (21/05/19) – O deputado estadual Onevan de Matos apresentou projeto de lei, na sessão desta terça-feira, cujo objetivo é auxiliar os servidores públicos a evitarem o superendividamento oriundo da contratação desenfreada dos chamados “empréstimos consignados”.

Limite – O projeto de lei, que altera a redação do artigo 79 da Lei Estadual 1.102/1990 (Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Poder Executivo, das Autarquias e das Fundações Públicas de Mato Grosso do Sul), limita em 35% (trinta e cinco por cento) da remuneração líquida dos servidores públicos (salário base e vantagens fixas) o percentual para a contratação de empréstimos consignados e descontos facultativos em folha de pagamento.

“Muitos servidores têm contraído diversos empréstimos consignados sequencialmente, visto que o alívio financeiro do crédito obtido em determinado mês se transforma em martírio nos meses seguintes, tornando-se uma bola de neve na vida financeira. O “superendividamento” oriundo destas contratações impõe aos servidores o recebimento de valores mínimos dos proventos, que ficam sem recursos para as demais responsabilidades financeiras impostas pela vida cotidiana”, explicou o deputado estadual.

Iniciativa – Onevan de Matos pontuou, em complemento, que foi oficiado pela Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso do Sul e pela Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/MS, que expuseram o alto número de servidores públicos que têm procurado o judiciário no intuito de reduzir o percentual de desconto dos empréstimos, em razão do recebimento cada vez menor dos salários.

“A contratação sequencial e desenfreada de empréstimos consignados não apenas não soluciona o problema do endividamento momentâneo, mas, também, tem natureza diversa e oposta, pois acaba eternizando a obrigação, visto que mês a mês o servidor público acompanha a drástica redução de seus recebimentos salariais e o aumento do saldo devedor e/ou de inadimplência de suas demais obrigações financeiras”, complementou Onevan de Matos.


 
Notícias Recentes
Bens confiscados com traficantes serão vendidos imediatamente a partir de agora
Rose Modesto admite interesse em disputar prefeitura de Campo Grande, mas nega acordo com o MDB
Previdência: contribuição sobe de 15 para 20 anos para homens
CCJ do Senado decide sustar decreto que flexibiliza porte de armas
Atendendo solicitação de Barbosinha CCR fará intervenções em acessos da BR-163 em Dourados
AL/MS celebra 40 anos de promulgação da primeira Constituição de MS Onevan de Matos, um dos 18 deputados constituintes
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet