Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
11 de Setembro de 2018 às 17h40min
Placas padrão Mercosul já estão valendo no Brasil
O lançamento é nesta terça-feira (11) no Rio de Janeiro, o primeiro estado no país a utilizar o novo formato, que já está em vigor na Argentina e Uruguai.
Gazeta do Povo

        Foto: Divulgação

Depois de adiadas algumas vezes, a implantação das placas padrão Mercosul no Brasil finalmente vai acontecer. O lançamento é nesta terça-feira (11) no Rio de Janeiro, o primeiro estado no país a utilizar o novo formato, que já está em vigor na Argentina e Uruguai.

A confirmação ocorreu por meio de um comunicado oficial do Ministério das Cidades, que decidiu antecipar a data de 1.º de dezembro, até então prevista para iniciar no Brasil.  O governo só não anunciou quando os demais estados passarão a adotar a novidade.

O valor da nova placa será o mesmo do modelo antigo, pelo menos no Rio de Janeiro: R$ 219,35.

Já o processo de fabricação será unificado entre as empresas a fim de evitar fraudes. De acordo com a Resolução 729/ 2018 do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), a placa oferecerá maior segurança e identificação automática dos veículos por meio de QR Code e chip, com número de ID único.

Ou seja, constará desde a identificação do fornecedor da chapa até o número, data e ano e modelo de fabricação do carro. Desta forma, a polícia saberá imediatamente se o veículo foi clonado ou não.

Além dos modelos zero quilômetro, receberão a placa Mercosul os que realizarem transferências de propriedade, de domicílio e alteração de categoria, e também aqueles que desejarem por vontade própria.

Como será o sistema unificado de identificação:

Troca

O modelo será adotado a partir de 11 de setembro de 2018, por ora, no Rio de Janeiro. Ainda não está definido quando os demais estados vão aderir à novidade.

Ela será obrigatória em modelos zero km; veículos transferidos de município ou de propriedade e também de categoria; e quando houver a substituição das placas por algum motivo.

Quem tem carro já emplacado, a substituição é opcional, não havendo a obrigatoriedade.

Letras e números

Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa. No caso das cidades que tenham rodízio de placa na semana, o último caractere deverá ser um número para não atrapalhar o funcionamento do sistema.

Cor

A cor do fundo das placas será branca. O que varia, é a cor da fonte. Veículos de passeio: preto. Veículos comerciais: vermelha. Carros oficiais: azul e verde (em teste). Diplomáticos: dourado. Colecionador: prata.

Localidade

O nome do país estará na parte superior da patente, sobre uma barra azul. Nome da cidade e do estado estará na lateral direita, acompanhados dos respectivos brasões.

Tamanho

A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura).

Falsificação

Marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas.

Também será acrescentada uma tira holográfica à esquerda (similar às usadas nas notas de R$ 50 e R$ 100). O objetivo é dificultar falsificações.

QR Code e chip

Outro sistema de segurança que dificultará as fraudes é a inclusão do QR Code e do chip. Ambos combaterão o roubo e a clonagem e trarão detalhes como nome do proprietário, modelo do veículo, ano de fabricação e número do chassis.

O QR Code, por exemplo, poderá ser lido rapidamente via smartphone, enquanto o chip ajudará na fiscalização de autoridades policiais.

O chip também proporcionará acesso aos sistemas de portões e cancelas, permitindo a liberação automática em pedágios e estacionamentos.

Compartilhamento

Um novo sistema de compartilhamento de dados com informações como o nome do proprietário do veículo, número da placa, marca, modelo, tipo de carroceria, número de chassi, ano de fabricação e histórico de roubo e furto também será colocado em funcionamento junto com as novas placas.

Fim do lacre

Com as novas tecnologias para evitar falsificações, as novas placas não usarão mais lacres. Segundo o Denatran, no modelo atual é comum o lacre se romper e o proprietário precisava repor o dispositivo para não ser multado. O custo médio do lacre é de R$ 25.


 
Notícias Recentes
IVINHEMA: PM prende homem após agredir esposa e estuprar sogra
Busca por arma leva polícia a descobrir esquema de falsificação de documentos
Madrugada sangrenta: em oito horas, quatro homens são assassinados em Campo Grande
Caminhoneiro bate em traseira de carreta perde controle e morre ao cair em barranco
Dois são presos em Nova Andradina com droga que saiu de Dourados
Homem foi preso em flagrante após roubar celulares de duas vitimas em Deodápolis
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet