Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
26 de Abril de 2018 às 08h08min
Com sintomas de gripe, bebê morre no posto de saúde
Arthur foi levado ao UPA pelo pai Marcelo Lopes Souza, 23 anos, e a esposa, Estefani Larissa Gondin da Costa, 19, por volta das 8h desta segunda-feira (23)
Campo Grande News

                     A espera de atendimento na UPA

 
Após ser internado com sintomas de uma gripe o pequeno Arthur Miguel Gondim Sousa, de apenas três meses de idade, morreu na tarde de ontem, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Coronel Antonino, em Campo Grande.

A dor da perda é somada a revolta dos pais da criança que se queixam da demora no atendimento, falta de equipamentos e até a imprecisão quanto às causas da morte da criança que até então, não foi informada pelos médicos.

Arthur foi levado ao UPA pelo pai Marcelo Lopes Souza, 23 anos, e a esposa, Estefani Larissa Gondin da Costa, 19, por volta das 8h desta segunda-feira (23). O primeiro atendimento à criança, no entanto, só ocorreu por volta das 11h, segundo os pais.

“Ele estava gripadinho, com uma tosse forte e respirando com muita dificuldade”, comentou Marcelo que é ajudante de pedreiro. Mas a angustia, segundo ele, só aumentou depois da espera. “Depois da triagem, na pediatria que eles foram notar que o quadro dele era mais grave, mas ainda encaminharam para emergência. Só que ainda esperamos por muito tempo”, se queixa.
Segundo o jovem, com a piora no quadro clínico da criança, ao menos três médicos ainda tentaram reanimar Arthur que não resistiu e morreu por volta de 16h. O pai acusa negligência médica e também critica a falta de estrutura da unidade para o atendimento aos pacientes que lotam o local, esta noite (23).

“Está lotado. Não tem nem água para beber. Não tinha oxigênio para darem para o meu filho. Estavam bombeando ar para ele à mão. Até a máquina de raio-x está quebrada”, se queixa.
Até o momento os médicos da UPA não informaram as causas da morte do bebê e também não há previsão de liberação do corpo.

“Não nos disseram nada. Nem médico, nem gerência, assistente social. Nada”, conclui. Em resposta, a Secretaria Municipal de Saúde Pública informou que as causas da morte ainda estão sendo apuradas.

Por meio de nota, a secretaria lamentou o ocorrido e diz ser solidária com a família, tendo, inclusive, dado toda a orientação aos familiares e reforça que o atendimento da criança se deu dentro do tempo protolocar, vindo a mesma a receber toda a assistência necessária e foi medicada, no entanto ela apresentou um quadro crônico grave que evoluiu rapidamente vindo a falecer. 


 
Notícias Recentes
Em uma semana, vírus da Zika tem nove novos casos em MS
Horário de Verão pode ser extinto em todo território nacional
MP da Paraíba recomenda multa ou perda de guarda para pais que não vacinarem filhos
Risco de surto de catapora deixa pediatria do Hospital Regional em alerta
Diante de ameaça de volta de sarampo e pólio 158 mil crianças serão vacinadas no MS
USP alerta para alterações hormonais e outras doenças por uso excessivo de plásticos e cosméticos
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet